A freguesia da Teixeira é formada por duas aldeias, que distam entre si apenas dois quilómetros, implantadas no vale da ribeira da Teixeira, um curso de água afluente da ribeira de Alvoco.  

As povoações ocupam um território de relevo muito acidentado e solos de escassa aptidão agrícola, onde o xisto constitui o material litológico preponderante. A paisagem envolvente encontra-se dominada por matas de pinheiro-bravo, giestais, medronhais e campos de cultivo em socalcos, que se distribuem principalmente ao longo da ribeira e dos seus ribeiros afluentes principais.  

Nas aldeias, o casario além de apresentar um traçado típico/característico dos aglomerados em xisto conserva um conjunto relevante de edifícios antigos em que o xisto e a lousa constituem os materiais de construção de eleição. Destas edificações salientam-se o lagar de vara de azeite, que se manteve em laboração até há uma década, e vários alambiques para a produção tradicional de aguardente de medronho. 

 

Capela de Nossa Senhora da Conceição

Situada no centro da aldeia da Teixeira a capela de Nossa Senhora da Conceição representa o edifício mais antigo desta freguesia. O templo de nave única data do século XVIII e na sua fachada sobressai a torre sineira. 

Lagar de Azeite

Situado no termo da povoação, num socalco sobranceiro à ribeira da Teixeira, encontra-se um lagar de vara para produção de azeite. 

O edifício em xisto, assenta sobre uma construção mais antiga, objecto de obras de requalificação e ampliação em 1995, tendo-se apresentado em laboração até ao início do corrente século. O lagar de vara funcionava através de uma engrenagem movida pela força da água, conservando ainda parte do equipamento original. Sobre a ribeira, a curta distância do lagar, uma ponte rústica de arco simples e um caneiro largo para condução da água, construídos em xisto, contribuem ainda para a tipicidade do local.

← Voltar