Sazes da Beira é uma pequena aldeia alojada numa encosta soalheira abrigada dos ventos frios de norte. No núcleo urbano mais antigo, o seu casario apresenta um traçado algo labiríntico, como é característico das localidades implantadas em regiões onde a litologia dominante é o xisto. Um número considerável de habitações mantém o xisto e a lousa como materiais preponderantes de construção.

Nos campos localizados em redor da aldeia, ao longo da ribeira de Sazes e dos seus afluentes principais, encontram-se campos de cultivo instalados em socalcos, matos de urze e carqueja e matas de pinheiro-bravo. 

Numa vertente a montante da aldeia, na portela de Arão, os Serviços Florestais criaram, nos anos 60, uma área de viveiros para produção de árvores, em particular de pinheiro-bravo, com vista a reflorestação de amplas áreas da serra da Estrela.

Nas encostas da montanha encontram-se abundantes testemunhos da atividade mineira realizada na região, entre os anos 40 e 50, para extração de minério de volfrâmio e estanho. Estas minas integravam o couto mineiro do Malhão desenvolvendo-se em galerias subterrâneas.

 

Igreja Matriz

No núcleo habitacional antigo de Sazes da Beira, de ruas e ruelas de traçado algo labiríntico e onde subsistem diversas casas tradicionais em xisto e cobertura de lousa, localiza-se a igreja matriz da povoação dedicada à Nossa Senhora do Rosário. O templo data de 1731, possui planta retangular e torre sineira rematada por coruchéu piramidal, adossada à fachada lateral esquerda.

Minas de Volfrâmio

Nas encostas, envolventes da aldeia de Sazes da Beira, encontram-se vestígios abundantes de antigas minas de volfrâmio e estanho, exploradas desde o início do século XX até à década de 50, em resultado da enorme procura de volfrâmio durante aquele período. As minas ocorrem associadas a filões de quartzo instalados em fraturas existentes nos xistos, sendo formadas por uma rede de galerias subterrâneas ligadas entre si e com o exterior através de chaminés, para ventilação dos túneis. A localização destas galerias é facilmente identificada pela existência de escombreiras de materiais estéreis ricos em quartzo. Pelos riscos que estes túneis representam não se recomenda a sua visitação.

 

Viveiros Florestais

Os viveiros florestais da Portela de Arão, localizam-se na parte superior da encosta de Sazes da Beira, tendo aí sido produzidas as plantas, sobretudo pinheiro-bravo, utilizadas na reflorestação de vastas áreas da serra da Estrela. Formados por uma ampla área de socalcos em xisto e por vários tanques de rega, alimentados por inúmeras nascentes e minas de água, a sua construção levada a cabo pelos Serviços Florestais remonta ao ano de 1957, tendo-se mantido em funcionamento até ao início da década de 1990.

 
← Voltar