Lagoacho das Favas

Esta é uma pequena lagoa de origem glaciária, situada na vertente norte da lagoa Comprida, a cerca de 1640 metros de altitude. Com um espelho de água de carácter temporário, é um dos locais de ocorrência da fava-de-água (Menyanthes trifoliata), planta com uma distribuição rara e irregular em Portugal, e que na serra da Estrela, se encontra restrita a um reduzido número de charcos.

marker

 

Lagoa Escura

A sul da Lagoa Comprida, a 1685 metros de altitude, encontra-se uma das maiores e mais profundas lagoas naturais da serra, com cerca de 9 metros de profundidade. Para além do interesse natural, são as inúmeras lendas associadas a esta lagoa, para as quais contribui a sua profundidade, havendo a crença que esta, se encontra ligada ao mar.

marker

 

Poços de Loriga

As lagoas do Covão Quelhas, Serrano e Francelha, localizadas a aproximadamente 1800 metros de altitude, formam um sistema de lagoas, denominado localmente por Poços de Loriga. Este conjunto integra o Sistema Hidroeletrico da Serra da Estrela, tendo sido construído com o objectivo de regularização do caudal da Ribeira da Nave, permitindo aumentar a produção de energia hidráulica, para alimentação das fábricas de lãs existentes em Loriga, e a irrigação dos campos agrícolas do vale.

marker
 
 

Covão do Meio

A albufeira do Covão do Meio, situada numa das quatro depressões glaciárias que constituem o vale da Garganta de Loriga, armazena durante parte do ano, a água proveniente da ribeira da Nave e dos denominados poços de Loriga. Daqui, a água é conduzida até à Lagoa Comprida por intermédio de um túnel, reforçando o caudal desta albufeira. Durante os meses de verão, o armazenamento deixa de se efectuar, ficando o caudal da ribeira disponível para as populações do vale de Loriga.

marker
 
 

Lagoa Comprida

Constituindo na actualidade o maior reservatório de água da serra da Estrela, esta albufeira encontra-se numa ampla depressão de origem glaciária, tendo constituído no passado, a maior lagoa natural da região. Localizada a cerca de 1600 metros de altitude, a albufeira armazena não só a água proveniente dos cursos de água envolventes, mas é ainda alimentada pelas albufeiras do Covão dos Conchos e Covão do Meio, que se encontram ligadas a esta através de dois longos túneis.

marker
 
 

Vale do Rossim

Com uma área inundada de 370 hm3 esta é a segunda maior albufeira do maciço superior da serra. Localizada a cerca de 1400 metros de altitude, esta massa de água, que integra o SHSE, faz parte de um sistema de três lagoas que se encontram ligadas entre si por um túnel (Vale do Rossim, Erva da Fome e Lagoacho).

marker
 
 

Lagoacho

A albufeira do Lagoacho, alojada num covão de génese glaciária, é a mais recente das grandes obras hidráulicas realizadas na serra, datando a sua inauguração de 1994. Este reservatório integra um sistema de albufeiras interligadas por túnel (Vale do Rossim - Erva da Fome - Vale do Rossim), que alimentam directamente a central eléctrica do Sabugueiro II.

marker
 
 

Abufeiras do Covão do Curral e Covão do Forno

Estas duas albufeiras, localizadas a Norte da Lagoa Comprida, no covão de génese glaciária da Nave Travessa, constituem mais dois exemplos de reservatórios para armazenamento de água para produção de energia hidroeletrica. A estas albufeiras, afluem as águas da Lagoa Comprida, assim como das encostas adjacentes, sendo posteriormente conduzidas às centrais do sabugueiro I e II, por intermédios de canais e condutas forçadas.

marker
 
 

Albufeira do Covão dos Conchos

Esta albufeira, localizada a cerca de 1630 metros de altitude, encontra-se alojada numa depressão de génese glaciária, desviando a água da ribeira das Naves e conduzindo-a através de um túnel com 1519 m, até à Lagoa Comprida.

marker

 

 

← Voltar